Introdução

O Centro de Produção de Radiofármacos está situado no andar térreo do Instituto do Cérebro do RS, e conta com uma área de aproximadamente 900m 2 . Em sua estrutura, possui um bunker onde está instalado o cíclotron, equipamento acelerador de partículas que é capaz de produzir material radioativo utilizado para fins médicos (ex. 18 F, 11 C, 13 N e 15 º). Além disso, é constituído pelos Laboratórios de Produção, de Controle de Qualidade Físico-Químico e de Controle de Qualidade Microbiológico. No Laboratório de Produção estão instalados equipamentos automatizados dentro de hot cells (capelas blindadas) para a síntese de radiofármacos.

A estrutura é equipada com a mais moderna tecnologia para produção de radiofármacos, construída dentro das exigências de Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos preconizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. As exigências da Comissão Nacional de Energia Nuclear também estão contempladas, através de normas específicas que visam a segurança do paciente, dos trabalhadores e do meio ambiente.

Os radiofármacos fabricados no InsCer são utilizados internamente para os pacientes atendidos no Centro de Imagem Molecular do Instituto, e também são enviados para clientes externos, através de uma parceria com importante empresa privada do setor de radiofármacos do Brasil, a R2. Além da produção de radiofármacos conhecidos e utilizados mundialmente para aplicação na técnica de diagnóstico por imagem, PET/CT (Tomografia por Emissão de Pósitrons acoplada a Tomografia Computadorizada), o Centro de Produção de Radiofármacos do InsCer trabalha no desenvolvimento de novos produtos. O objetivo principal é desenvolver produtos que tenham potencial para serem utilizados na rotina clínica, contribuindo para o melhor prognóstico dos milhares de pacientes que possuem câncer e outras doenças.