Vice-Presidente da República visita o InsCer

Hamilton Mourão conheceu o Centro de Produção de Radiofármacos da instituição

Diretor do InsCer, Dr. Jaderson Costa da Costa recebe Mourão

Nesta quarta-feira (15/12), o Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, esteve no Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer) para uma visita técnica ao Centro de Produção de Radiofármacos, estrutura capaz de desenvolver produtos que têm potencial para serem utilizados na rotina clínica, contribuindo para o melhor prognóstico dos milhares de pacientes que têm doenças neurológicas e cânceres. Foi recebido pelo Vice-Reitor no exercício da Reitoria, Ir. Manuir Mentges, membro da Administração Superior da Universidade, e pelo Diretor do Instituto do Cérebro, o neurologista Jaderson Costa da Costa.

Prestes a completar 10 anos de atuação, o InsCer é um polo de desenvolvimento, pesquisa e inovação na busca de soluções às doenças que acometem o cérebro e está orientado a atender demandas de pacientes e da sociedade.

“Aqui, o foco principal é o paciente. O InsCer nasceu pela ação de pessoas que acreditam no País. Nós temos uma indústria farmacêutica com uma característica muito especial, um produto não estocável que é produzido para o dia. Somos a primeira indústria da iniciativa privada autorizada a fabricar esses radiofármacos. Nós tivemos de aprender a fazer, a usar, e isso nos deu uma grande expertise. Estamos aqui combatendo Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, e estamos fazendo o mesmo para cânceres. Não só diagnósticos, mas também tratamento”, destacou Costa.

Em nome da Reitoria, Mentges agradeceu a visita de Mourão e reforçou a preocupação da Universidade em formar cidadãos com capacidade de transformar a sociedade:

“Nossas premissas são inovação e desenvolvimento. Nós buscamos constantemente dar as melhores respostas à sociedade, e nosso Campus da Saúde é algo que traduz na prática o que nossa instituição acredita, que é transformar pesquisa em ações que possam ajudar as pessoas e ajudar nosso País a se desenvolver por meio da educação”.

Antes de se dirigir para o Centro de Produção de Radiofármacos, Mourão expressou sua satisfação em voltar à Capital e, em especial, à PUCRS, instituição que, como disse, era frequentada por amigos próximos durante a adolescência.

“Para mim hoje é um dia especial por vários aspectos, também porque volto a Porto Alegre, minha terra natal, e sempre tem um filme que passa pela nossa cabeça. Não há dúvida de que o Instituto do Cérebro é um motivo de orgulho não só para nós gaúchos, mas para todo Brasil”, enfatizou.

Após o percurso, guiado pelo diretor do InsCer e pela coordenadora de Produção e Qualidade, Louise Hartmann, Mourão falou sobre a unidade:

“Para quem já conviveu um tempo com uma pessoa vivendo as dificuldades de doenças dessa natureza, você vê o trabalho aqui, a meticulosidade, e a busca a formas para chegar na cura, acho que isso é fantástico. E, como disse, é um trabalho anônimo que só faz o bem a todo mundo”.