Tomografia permite avaliar autenticidade de antiga peça barroca

Pesquisador Hüttner no InsCer

O pesquisador e professor da PUCRS Edison Hüttner acaba de descobrir a autenticidade de uma peça de madeira de um querubim missioneiro, que estava alocado no Museu Municipal Pedro Palmeiro, na cidade de Santiago (RS). Ele levou a peça ao Instituto do Cérebro do RS para realizar uma tomografia e averiguar a sua autenticidade. Após essa etapa, o pesquisador Édison Hüttner se debruçou em seu estudo sobre a arte sacro-jesuítica, junto ao também pesquisador Eder Hüttner.

“Nestes anos de pesquisa junto ao InsCer, estou percebendo que a gente sabe o que significa arte e cultura quando as vemos de fora, mas a tomografia representou uma nova ferramenta, como se estivéssemos esculpindo por dentro. É uma nova forma de pensar a arte por dentro, uma nova arte”, afirma Hüttner. E completa: “A tomografia nos permite avaliar a peça pra ver se é autêntica ou se é uma réplica”.

Segundo o professor Huttner, o querubim missioneiro tem mais de 300 anos e teria sido produzido com técnicas de policromia características das esculturas missioneiras dos séculos XVII e XVIII, sendo um peça de arte barroca-jesuítico guarani, possivelmente produzido em algumas reduções de Santa Rosa, Santo Ângelo ou mesmo da Argentina.

"Essa peça é um patrimônio histórico e cultural do município de Santiago. E acredito que mereça ganhar evidência e ser apreciada pelos visitantes do Museu de Santiago, com seus 300 anos de história", afirmou o professor Édison Huttner em matéria publicada no site da prefeitura de Santiago.