InsCer inicia estudo clínico de radiofármaco para Alzheimer

Nesta semana, iniciamos o estudo clínico, em pacientes, com o radiofármaco Neuraceq. Com total êxito nesta primeira etapa, a aplicação do estudo em pacientes deve continuar pelos próximos meses em sete grandes centros espalhados pelo país.

Conduzido pelo InsCer, este estudo é uma parceria com o grupo R2IBF e a empresa Life Molecular Imaging, desenvolvedora do produto, com a participação do Hospital Albert Einstein. UFPR/CETAC, a DASA, o Instituto de Pesquisa D'Or, o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, a United Health Group Brasil e a UNICAMP.

O radiofármaco Neuraceq marca as placas beta-amilóides presentes na Doença de Alzheimer e é considerado muito promissor no diagnóstico desta doença. "O grande benefício do novo marcador de beta-amiloide marcado com 18-F é a capacidade de identificar o depósito destas placas em estruturas cerebrais, o que auxilia o médico assistente a guiar o diagnóstico e permite que a hipótese de Doença de Alzheimer seja fortalecida ou excluída”, diz a Dra. Cristina Matushita, coordenadora da Medicina Nuclear do Instituto do Cérebro do RS.

Trazer o Neuraceq ao Brasil só foi possível graças aos esforços do InsCer e do grupo R2IBF, que há vários anos trabalham em conjunto para viabilizar o acesso da população a novas tecnologias na área da Medicina Nuclear.