Artigo do InsCer sobre a Covid-19 é publicado em revista internacional

O artigo A behavioral economic risk aversion experiment in the context of the COVID-19 pandemic (Um experimento comportamental de aversão ao risco econômico no contexto da pandemia de COVID-19), conduzido pelo pós-doutorando Bruno Kluwe-Schiavon sob orientação do Prof. Rodrigo Grassi-Oliveira, foi publicado na revista internacional Plos One. Schiavon integra o Grupo de Pesquisa em Neurociência Cognitiva do Desenvolvimento do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul.

O estudo investigou qual é o grau de risco de infecção pela Covid-19 necessário para que as pessoas queiram ficar em casa, mesmo que isso signifique perder seu salário. Através de uma pesquisa online, foram obtidos 8.345 respondentes. Entre as descobertas, foi visto que o máximo de risco de contaminação que as pessoas toleram para sair de casa é de 38%. Ou seja, apenas quando a chance de se contaminar é de 38 em 100, as pessoas decidem ficar em casa. Porém, quando investigada a chance de ficar gravemente doente, esse número cai para 13%.

Além disso, foi constatado que a condição financeira e a idade são fatores que influenciam nas respostas. Participantes com boa situação financeira e menores de 25 anos são os que têm maior probabilidade de fazer parte do grupo que pretende sair de casa para obter seu salário independentemente do nível de infecção pela Covid-19.

Segundo Thiago Viola, coordenador do Grupo de Pesquisa em Neurociência Cognitiva do Desenvolvimento, as descobertas aumentam o debate político e público sobre as estratégias de distanciamento social. “Ao contrário do que se supõe, as pessoas com baixo nível socioeconômico não tendem a ignorar as recomendações de distanciamento social devido a questões econômicas pessoais”, afirma.

Confira o artigo publicado, em inglês, através do link.