Novos serviços: InsCer oferece exames de polissonografia infantil e eletroencefalograma

Dois novos serviços passam a funcionar no Instituto do Cérebro da PUCRS (InsCer) a partir de abril: a polissonografia infantil e eletroencefalograma (EEG). Ambos serão realizados em ambientes cuidadosamente projetados para a realização desses exames, as suítes do Centro de Pesquisa e Investigação Clínica (Cepic).

A polissonografia infantil, explica a neuropediatra Magda Lahorgue Nunes, pode ser feita para investigar distúrbios do sono ou para avaliar a organização da atividade elétrica cerebral.

“É um exame indicado para recém-nascidos prematuros, principalmente, aqueles prematuros extremos para avaliarmos como está a organização da atividade elétrica cerebral desse período extrauterino. Essa organização no período neonatal se correlaciona com prognóstico neurológico”.

Bebês nascidos a termo podem ter a indicação para realizar a polissonografia quando há suspeita de algum problema neurológico, como crises convulsivas, ou quando existem questões respiratórias, como apneias que não cessam, completa Magda. O serviço será oferecido para bebês de zero a dois anos e 11 meses de idade. Mais detalhes neste link.

Outra novidade que passa a integrar os serviços do InsCer é o EEG, teste feito para avaliar a atividade elétrica cerebral e investigar casos de epilepsia. Realizado em todas as faixas etárias, o EEG, assim como a polissonografia, é feito por meio da colagem de eletrodos no couro cabeludo do paciente. O eletroencefalograma, no entanto, não precisa, obrigatoriamente, que o paciente esteja dormindo.

“Existe alguns tipos de epilepsia que são ativados pela vigília e outros pelo sono”, observa a coordenadora do Cepic.

A duração mínima desse teste é de 20 a 30 minutos. O diferencial do EEG realizado pelo InsCer é que serão feitos exames de longa duração, em sono ou em vigília.