• Glass broken cracks splinters in front of car ( Filtered image processed vintage effect. )

A psicóloga e doutoranda Letícia Leite, do Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde da PUCRS, busca voluntários para sua pesquisa que desenvolve um novo modelo de tratamento, não medicamentoso, para auxiliar pessoas que sofrem com o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). O perfil buscado é o de pessoas que tenham passado recentemente por acontecimento traumático (não incluindo traumas na infância/ adolescência). O(a) voluntário(a) precisa ser residente da região metropolitana de Porto Alegre e ter mais de 18 anos. Parte do estudo é desenvolvido no Instituto do Cérebro. A tese é orientada pelo professor da Escola de Humanidades Dr. Augusto Buchweitz e co-orientada pelo professor da Escola de Ciências da Universidade, Dr. Diogo Lara.

De acordo com Letícia, o Transtorno de Estresse Pós-Traumático se desenvolve após a pessoa passar por alguma situação fortemente traumática na vida, como por exemplo: ser assaltada, sofrer violência sexual, ser agredido fisicamente, passar por luto por morte violenta, presenciar homicídio ou sequestro, vivenciar desastres, acidentes automobilísticos ou aéreos, entre outras. 

O objetivo do estudo é avaliar um tratamento baseado em técnicas autoaplicáveis. “Atualmente, abordagens terapêuticas focadas em trauma e cientificamente comprovadas estão pouco acessíveis à maioria da população, já que os profissionais capacitados atuam, em sua maioria, nos consultórios privados ou estão vinculados a centros de pesquisa em regiões centrais dos Estados brasileiros”, ressalta Letícia. A pesquisadora completa que “validar uma abordagem autoaplicável pode beneficiar pessoas que sofrem com traumas psicológicos, com acesso facilitado e redução de custos com tratamentos”.

Voluntários interessados em participar ou receber mais informações podem encaminhar e-mail para: pesquisatratamentotrauma@gmail.com .

O estudo é desenvolvido com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq (projeto aprovado número 466702/2014-0).