• estudo dr burno ok

Um estudo inovador desenvolvido no Instituto do Cérebro comprovou que é possível reduzir significativamente, em mais de trinta vezes, a dose de radiação em crianças que fazem tomografias de tórax, sem o uso da anestesia, mantendo uma alta qualidade diagnóstica. Esse é o protocolo de tomografia computadorizada que mais reduziu dose de radiação na prática clínica no mundo. Isso foi possível por meio da utilização de um software de redução de dose com pós-processamento e também através de um qualificado treinamento da equipe assistencial para a realização de exames em crianças sem anestesia. “Este é um protocolo inovador que já está sendo aplicado no Instituto do Cérebro”, afirma o radiologista torácico, Bruno Hochhegger. O artigo foi realizado em conjunto com a Universidade de Santa Cruz, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio de Janeiro e PUCRS, e foi publicado no Jornal de Pediatria.

Sobre o artigo

Objetivo: Avaliar a viabilidade do uso de tomografia computadorizada com ultrabaixa dose com reconstrução iterativa sem anestesia para avaliação de doenças pulmonares em crianças.

Métodos: Este estudo prospectivo envolveu 86 pacientes pediátricos consecutivos (1 mês a 18 anos de idade) submetidos à tomografia computadorizada com ultrabaixa dose por suspeita de doenças pulmonares, sem anestesia e contraste. Os parâmetros utilizados foram: 80 kVp; 15-30 mA; tempo de aquisição, 0,5 s; e pitch de 1,375. Foi utilizada a técnica de reconstrução estatística adaptativa iterativa. A avaliação visual subjetiva e a avaliação quantitativa da qualidade da imagem foram feitas utilizando uma escala de 5 pontos em 12 estruturas diferentes do tórax.

Conclusão: É possível realizar a tomografia computadorizada com ultrabaixa dose torácica sem sedação ou anestesia, administrando uma dose de sub-milisievert, com qualidade de imagem suficiente para a identificação pulmonar anatômica e de doenças pulmonares comuns.

Autores: Cristina Manera Dorneles, Gabriel Sartori Pacini, Matheus Zanonb, Stephan Altmayer, Guilherme Watte, Marcelo C. Barros, Edson Marchiori, Matteo Baldisserotto, Bruno Hochhegger.