• 225

As epilepsias constituem o distúrbio neurológico crônico mais comum em todo o mundo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Epilepsia, cerca de 8 milhões de pessoas sofrem com a síndrome na América Latina. A epilepsia do lobo temporal (ELT) é a forma mais prevalente de epilepsia sintomática refratária, ou seja, resistente à medicação. A ELT é geralmente associada a uma lesão cerebral inicial seguida de um período variável sem manifestação clínica, até que se iniciem as crises convulsivas.

Este processo conduz eventualmente a convulsões recorrentes de difícil controle farmacológico. Segundo os pesquisadores, cerca de 30% dos pacientes apresentam resistência à terapia medicamentosa. Na busca de novas alternativas terapêuticas, o Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer) realizou entre os meses de julho de 2008 e maio de 2012 a primeira fase do estudo Transplante Autólogo de Células-Tronco da Medula Óssea na Epilepsia do Lobo Temporal Refratária ao Tratamento Medicamentoso, para analisar a factibilidade e a segurança do transplante autólogo de células-tronco da medula óssea (retiradas do próprio paciente) para o tratamento da epilepsia do lobo temporal (ELT). Na avaliação de seis meses, 40% dos pacientes não tiveram mais crises convulsivas, 25% tiveram redução entre 70 e 99% no número de crises, 15% tiveram redução entre 50 e 69% no número de crises e 20% apresentaram redução no número de crises menor que 50%.

Após a primeira fase, se inicia uma nova etapa da pesquisa, com chamada aberta para pacientes voluntários. Esta fase inclui a participação de três centros: PUCRS (Hospital São Lucas, Programa de Cirurgia da Epilepsia, Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul); UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas – Departamento de Neurologia; e UFPR- Universidade Federal do Paraná (Hospital de Clínicas – Serviço de Epilepsia e EEG). O projeto, que possui recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, tem coordenação geral do diretor do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul – PUCRS, Prof. Dr. Jaderson Costa da Costa, tendo como coordenadores na Universidade Estadual de Campinas o Prof. Dr. Fernando Cendes e na Universidade Federal do Paraná o Prof. Dr. Carlos Eduardo Soares Silvado.

Fique atento aos pré-requisitos para participação na pesquisa:

  1. Ter idade entre 18 a 60 anos
  2. Ser portador de Epilepsia Temporal resistente ao tratamento medicamentoso.
  3. Concordar com a participação no estudo mediante assinatura do Termo de Consentimento livre e Esclarecido (TCLE).

As pessoas que tiverem interesse em participar podem entrar em contato somente através do e-mail cels.tronco.inscer@gmail.com.